18 de out de 2010

Prólogo


                Eu não gosto de você. Gosto de poucas pessoas e gozo em varias, mas isso não me faz gostar de você. Não somos amigos de infância ou irmãos de pais diferentes, não somos nada. Você me acha um bêbado babaca e eu te acho um idiota inútil.
                Nossa relação se resume a isso.
                Você pode ler o que eu escrevo, pode se reconhecer no que eu escrevo e pode até gostar do que escrevo, mas isso nunca vai te fazer melhor.
                Se espera finais felizes e historias bonitinhas vá ler crepúsculo e viva bem com a sua mediocridade.
                O que escrevo pode ser verdade, ou não. Você nunca vai saber.
                Pode suspeitar, mas certeza é algo que nem eu tenho.
                Para as mais belas criaturas da terra eu deixo meus sentimentos, vocês são minha fonte de inspiração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário