6 de ago de 2012

Interrompido

                Não é o jeito de se fazer. Até que é, mas não a primeira vez.
                Não essa primeira vez.
                Um olho na porta e outro nela, os dois deveriam estar nela. Um ouvido no roncar da colega e outro nos gemidos baixos dela.
                Não nessa primeira vez.
                Não é idealizar, imaginar ou criar muito. É querer o certo, porque isso é certo. Não dá pra se arrepender quando a vontade é grande assim, quando os beijos são envolventes e a pele é chamativa assim. Não dá pra espalhar, se negar acreditar e nunca mais procurar. Não quando o olhar de prazer e a risada safada dela ficam daquele jeito comigo. 
                Não na primeira vez.
                O colchão no chão foi meio romântico, isso não posso discutir e eu acho que a minha camiseta tá meio relaxada na gola e as costas estão arranhadas. Isso é bom.
                Mas eu quero o melhor. O melhor possível pra gente.
                Pelo menos na primeira vez.
               

3 comentários:

  1. "O melhor possível pra gente."

    ResponderExcluir
  2. "We would never meet again
    We would never see it through
    Our time was short but not for no one reason
    We couldn't stay
    We were not each other's truth
    We were close but very far" (:

    ResponderExcluir