4 de jan de 2013

O mundo continua girando.



                - Olha, não leva a mal o que eu vou falar agora, ou leva... (Interrompido)
                - Que foi?
                - A culpa não é totalmente sua, sério, pode acreditar. É só que... Não se ama sozinho. Isso é algo feito em dupla, tipo vôlei de praia e não ping pong. Sei lá... Posso estar muito enganado e eu quase sempre estou. Cansei de tudo, na verdade cansei de tudo que envolve você. Seus peitos até que são bonitos, de verdade, são as melhores tetas que eu já vi em anos. Hoje elas não me excitam mais. Nem uma ereção meia bomba, nadinha... É triste, eu sei disso...
                - Mas... (Interrompida)
                - Não tem essa de MAS, broto, acho que o mundo é assim meio injusto mesmo. A gente deixa de amar, sem essa de que amor é pra sempre. Eu ainda gosto de você, é seu rosto e sua atitude que me irritam, mas de vez em quando você é simpática e eu posso jurar que em algum lugar por aí, tem algo da menina ou mulher que me deixou de quatro. O problema é que ela raramente aparece e eu não lido bem com o desprazer. Sei que é meio de súbito, mas eu já tinha te avisado antes que não curtia suas atitudes...
                - Porra! Você comentou uma vez, no máximo duas.
                - E já foi demais...
                - Não acha que é imaturo da sua parte?
                - Acho que a vida é minha e os sentimentos também, se você fode com o que sinto por você é problema seu e não meu, mulher....
                (Silêncio)
                - Preciso da minha blusa de frio e aquela camisa de flanela...
                - Tá indo viajar?
                - Mais ou menos.
                - Aposto que é com aquela puta do teatro...
                - Ela não é puta, e na verdade eu to mudando.
                - Vai pra qual bairro?
                - Tô mudando de cidade...
                - Assim?! Do nada?
                - É!
                - Posso pelo menos perguntar o motivo?
                - Aqui não tem mais nada pra mim.
                - E eu?
                - Prefiro ir embora com o pouco da boa lembrança que ainda sobrou.
                - Nossa... Eu fui assim tão ruim?
                - É... Foi.

               

Nenhum comentário:

Postar um comentário