22 de jan de 2011

Dancing with myself

          Outra noite vazia... Pessoas tão vazias quanto eu, talvez até mais. Assuntos maçantes, sorrisos forçados, brincadeiras desnecessárias... Uma noite sem mulheres e por incrível que pareça, seus olhos não saíam do meu pensamento. Aquele olhar vazio pro canto do bar, aquele olhar de susto ao perceber quando chegava ao seu lado no balcão, mesmo que fosse para pegar outra dose.
          A tempos não pensava em você e não tinha uma imagem exata de toda aquela noite tão solitária quanto essa.
          Dessa vez meu caderno e a caneta fazem o papel do uísque barato... E a cabeça, atordoada de pensamentos talvez causados pelo álcool, dão lugar a uma mente sóbria, doente, que se sente castrada e fraca. Tenho certeza que você nunca vai ler o que escrevo e tenho certeza também que:
                                      “Well there's nothing to lose
                                       And there's nothing to prove
                                       I'll be dancing with myself
                                       If I looked all over the world
                                      And there's every type of girl
                                      But your empty eyes
                                      Seem to pass me by
                                      Leave me dancing with myself”

Nenhum comentário:

Postar um comentário