8 de jun de 2011

Interstate Love Song

Falavam sobre a Grécia, eu só conseguia pensar nos seus olhos. Lá fora a lua me olhava com um sorriso de despedida nos lábios, como de quem quer adiantar a partida. Por mais triste e lindo que fosse não tirava sua boca do pensamento.

Mesmo com a proximidade, o vicio do jogo falava mais alto.

Não sucumbimos ao impulso. O jogo parecia mais excitante, pelo menos pra você.

Como gata e rato. Uma linda gata com olhos coloridos que se igualam a borboletas que voam em plena primavera, lábios suaves e hipnotizantes e uma das vozes mais doces que já escutei. Eu, só mais um rato, lutando como Ulisses para não me render aos encantos da sereia.

Outros competiam por sua atenção, eram brigas tão silenciosas quanto a minha, por mais que não tivessem o duelo interno que eu travava incessante, ainda te queriam. Talvez não tanto nem tão intensamente quanto eu.

Não tão heróico quanto Hercules mas, talvez tão honrado quanto, lutei. Lutei até o seu limite por um pouco de carinho.

O leão de medeia seria mais fácil de domar que o seu coração.

Ainda existia a lua, por mais que você tivesse esse poder de me fazer esquecê-la por alguns instantes, mesmo que por uma tarde inteira, ela ainda estava lá.

Ainda quero você e seus beijos com gosto de amora.


(Dedicado a você e todos os nossos jogos, beijos de amora.)

Um comentário: