4 de set de 2011

The end

E se eu me apaixonar? E se tudo que vivi até hoje conseguir superar? E se com ela eu sonhar? Seria ela capaz de me amar? Bem mais que você, que esporadicamente o fazia impecavelmente? Sem me importar com a reciprocidade digo com peito estufado: “Estou encantado”.
Em poucas horas alguém que surgiu do nada te tirou o trono e te roubou o bônus. Tirou de você um fardo, assumiu um grau de importância que você nunca quis. Assumiu uma postura que raramente você assumia. Por mais que agora eu seja passado... Daqueles bons de lembrar. De loucuras no meio da rua, no banco de trás do carro durante a carona. De beijos ardentes com data de validade.
Ela te superou.
Simples como tudo deveria ser. A ressaca nunca foi tão doce, talvez porque junto da dor de cabeça, olhos pequenos e os “super sentidos” eu ainda esteja com gosto dela na boca. As palavras e frases (mesmo que feitas) que ela me disse ainda ressoam como musica. Daquelas que se escuta por horas repetidamente sem se cansar.

Um comentário: