24 de set de 2011

Through Glass

"Duas décadas. Eu só consigo pensar em uma vida inútil, é em momentos assim que você pede para que uma bala perdida ache seu endereço. Ainda não, há bocas a beijar, camas a deitar, corações a quebrar.

Sempre só. No fim é isso, no começo também. Existem pacotes vendidos onde o meio parece atraente. Carro do ano, garota linda, sorrisos estampados. Garantia de uma vida plena.

Só penso nas palavras de Tyler: “Pro inferno com essas coisas, eu digo nunca se sinta completo” algo mais ou menos assim.

Deus! Como eu queria um cigarro agora.

Sem nada pra me acalmar, não hoje, não esta noite. Nem a Lua, Amora, L. ou os lábios que mais cedo juraram ser meus.

Só!

Mais uma dose, duas, três, vinte... Não interessa a quantidade, muito menos a qualidade.

Maldita insônia, antigamente você só me pegava em Goiás. As coisas mudam e você continua aí, somos uma bela equipe. Você, ressaca, eu e amores não correspondidos. Que seja assim até a eternidade, ou pelos próximos seis anos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário