11 de jan de 2012

Notas de um observador


Já dizia Linus Van Pelt (meu personagem favorito): “Em todo este mundo, não há nada mais inspirador do que ver alguém que acabou de se livrar de uma obrigação”.
Durante certo período de ócio e analisando crianças que deveriam estar sob a minha vigilância percebi que certas coisas ajudam definir a personalidade e formam caráter.
Hoje divago sobre “A caminhada da coragem”.

 Honra não vem de berço.
Há um período certo entre os primeiros 10 anos de vida, em que a criança tem que cumprir a caminhada da coragem - O simples fato de apagar a luz do quarto e caminhar lentamente até a cama.
Pode parecer besteira, mas isso é importante. A criança aprende a conviver com os medos, encará-los e ocasionalmente vencê-los. Essa caminhada faz parte dos primeiros passos pra que essas crianças se tornem seres dignos e de respeito.
Desde cedo aprenderam a vencer o escuro, a lutar sozinhas contra monstros e espectros se que escondem sob a escuridão, e alem de tudo, aprendem alcançar seus objetivos com sucesso.
Pra quem nunca conseguiu concluir a caminhada - ou qualquer outro passo - eu cito novamente LVP: “Eu gosto da humanidade. O que eu não suporto são os humanos”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário