17 de jun de 2012

Terça

                Então eles estavam lá. Lá naquele morro em Tiradentes, perto da rodoviária, onde tem uma igrejinha e uma arvore grande. Deitados na grama olhando o céu vermelho claro daquela noite fria, onde a neblina quase alcançava as ruas da pacata cidade.
                - Entre correr pelado nesse frio e um banho de cachoeira... Vai!
                Ele pensava. Não pensava na resposta. Pensava no que ia fazer, pensava que ela sentiria frio até o amanhecer e se não fossem quatorze quilômetros, voltar a pé seria uma boa. O amigo insistiu:
                - Você enrola demais...
                E ele olhando fixamente o céu:
                - Cachoeira.
                - Tá, você preferia a Bibi Jones de quatro ou a Alexis Texas cavalgando... Vai!
                Ele preferia a noite, fria daquele jeito e cheia de demônios e fantasmas. Daquele mesmo jeito. E o amigo reclamava:
                - Agora não adianta mais, elas voltaram do banheiro.
                Ela deitou ao lado dele. Não foi bem ao lado, deitou no peito dele e ele a cobriu com sua jaqueta e se manteve apenas com a fina camisa xadrez de flanela.
                E ele olhava o céu e agradecia as poucas estrelas que via por ela estar ali, no seu peito.

Um comentário: