16 de set de 2012

Domingo de sol



                Chegou. Foi direto a mesa de sinuca. Já era de casa.
                Trouxeram uma garrafa de um litro e um copo.
                Ajeitou as bolas, acendeu um cigarro e os óculos escuros refletiam as belas pernas da garota na mesa da frente.
                Primeira tragada.
                Duas bolas.
                Segunda tacada e nenhuma bola.
               
                Entre um gole e outro ela se levanta, vai ao banheiro.
                Entre uma tacada e outra naquela solitária sinuca, ela para.
               
                Grandes olhos castanhos e senso de humor ácido.
                Outro cigarro.
                Negras botas combinando com os longos cabelos.
               
                Outra cerveja.
               
                Ela se oferece para o jogo. Ele se perde pra ela, enquanto ganha mais uma partida.
                Ela ganha beijos apaixonados enquanto ele se vira com arranhões excitados. E só.
                As moscas do banheiro presenciaram.
                A noite subiu.
                Anônimos.
               
                Subiu sua calça, ela vestiu os shorts. Ele colocou a camiseta e ela abotoou o sutiã.
                Um beijo amigável, mais um gole, outro cigarro.
                E, ele saiu do banheiro enquanto ela arrumava a blusa com um sorriso no rosto corado.
                Satisfeita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário