9 de set de 2012

EnteDIAnte

                Naquela sexta feira entediante, deitado na cama a noite, olhando as sombras no teto, ouvindo Bach ou Tchaikovsky, você deseja algo. Alias, você eu não sei, mas eu desejo uma chupada e um belo par de seios, para me esfregar, ou um tiro na testa.
                De um dia chato desses, é isso que se tira.
                Não deveriam existir dias assim. Dias onde a coisa mais emocionante é alimentar ratos e descobrir uma estação com música clássica.
                Os carros com seus faróis em minha janela, o calor com seus mosquitos e a brisa fresca com seu bafo gelado nunca vão suspeitar do meu tédio.
                A noite corre monótona, em passos largos e lentos. Um minuto se transforma em horas. E os carros, a brisa, o calor, os ratos, Bach, mosquitos, Tchaikovsky, as sombras e o rádio jamais saberão ou vão suspeitar que vivi dez anos em um dia. Dez longos, e chatos, anos entre uma cerveja e uma cagada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário