28 de jan de 2013

Nota aos colegas.



                É engraçado como somos rapidamente julgados quando expressamos nossa opinião. Olha que esse é um tema bem recorrente, principalmente quando se trata de humor.
                Recentemente um caso a parte me chamou a atenção, postei no Facebook a seguinte frase: “Rio Grande do Sul ensinando o Brasil a assar uma carninha”.
                Sou de família gaúcha. Meus avós são gaúchos, tios e vários primos. No Brasil há a cultura das churrascarias gaúchas espalhadas aleatoriamente nos estados brasileiros. É possível se achar uma dessas na Bahia. O contexto dessa frase, porém, fez com que meus amigos e pessoas que faziam parte do meu perfil ficassem extremamente irritados e ofendidos.
                Na noite anterior, em uma boate na cidade de Santa Maria duzentos e alguns jovens morreram. Hora nenhuma na frase eu me referi necessariamente a essa tragédia, mas mesmo assim fui julgado por isso. Engraçado. Quem é o babaca da história?
                Este seria um ótimo argumento para todos os comentários, mas eu quis deixar subentendido o ocorrido na boate. Mea maxima culpa. Você se pergunta, ou não, o porquê disso.
                Bom... Nós não somos especiais. É aquele discurso Palahniukiano batido já visto internet afora. Eu assumi a postura de quem não se importa, porque de fato eu não me importo. Se você não sofreu diretamente com aquilo, você também não tem razões para se importar. Verdade seja dita.
                “A sensibilidade é o que nos torna humano.
                Besteira. Você se sensibilizou porque pensa que poderia ter sido com você. Eu percebi nos discursos que me repreendiam as seguintes frases: E se fossemos nós? E se fosse naquela boate que a gente frequenta? E se fosse minha filha? E se fosse a sua mãe chorando? E se fossem nossos amigos?
                Vou contar um segredo agora: Não era.
                Não aconteceu na boate que nos frequentamos, não era a minha ou a sua mãe. Agora eu conto outro segredo, que você não quer assumir: Você não liga pra eles. Você diz que acha ruim, porque se colocou no lugar deles, afinal é a mesma faixa etária e de repente, num domingo nublado, percebeu que não é imortal e acidentes acontecem.
                Estamos todos fadados a morrer, porque fazer disso grande coisa?
                Quem é babaca de fato? Eu que assumo o que penso e sinto ou você que veste o manto da solidariedade de momento?
                O que ocorreu foi de fato uma tragédia, eram jovens e toda essas coisas que a sessão sensacionalista vai dizer bem melhor do que eu, mas isto na minha vida foi só uma nota de rodapé, no máximo. Se você tinha parentes ou é um sobrevivente daquilo, boa sorte. Procure os culpados e faça justiça, agora se você, caro leitor, é só mais um reclamão que adora dar pitaco na opinião alheia, cale-se e recolha-se a sua insignificância.
                Pois se podem colocar no facebook fotos de pessoas queimadas, eu posso ao meu bel prazer falar da minha insensibilidade.
                E se no final das contas, continuam não satisfeitos, Santa Maria precisa de voluntários em diversas áreas, pegue o próximo voo ou ônibus.  

10 comentários:

  1. '' Pois se podem colocar no facebook fotos de pessoas queimadas, eu posso ao meu bel prazer falar da minha insensibilidade.'' - adoro essa parte.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, a questão é: Você está correto, isso de fato não afetou nenhum de nós diretamente (eu e você), e estamos na verdade pouco se fudendo com tudo isso. Isso é natural do ser humano, por mais que tente os mesmos só prezam pela própria integridade. Mas fazendo uma análise futurista dos fatos, convenhamos que todos nós estamos sujeitos a algo do tipo. E supondo que você não seja nenhum louco insensível, se isso te afetar diretamente você vai ficar abalado emocionalmente, e não vai se sentir bem se alguém fizer piadas infames do fato. Bom, ainda bem que temos "liberdade" de expressão, apesar de eu achar que no fundo você tem convicção que fazer piada destas coisas não é legal, e está fazendo isso apenas para aparecer. Relaxa isso também é natural do ser humano. Uma cabeça que acha que não é "mais uma", quer ir contra as ideias da grande massa. Meus parabéns continue assim, com pessoas iguais você o mundo algum dia vai caminhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que eu tô carente /: minha namoradinha teve que voltar pra cidade dela.

      Excluir
    2. Anônimo Curtiu isso!

      Excluir
  3. Você tem o direito de falar, as pessoas tem o direito de não concordar com o que você fala. É aquele velho ditado.. fala o que quer, escuta o que não quer! Acho que você fez a 'piadinha' mais pra aparecer e criticar o sensacionalismo que sempre acontece em cima dessas tragédias. Mas acontece que, além da mídia que faz um verdadeiro alvoroço, existem famílias destruídas, que merecem no MÍNIMO respeito. Respeito que você pode pensar que não deve porque não conhece e blá blá blá.. Mas se não respeita, pelo menos não fale nada.. é melhor, tenho certeza que se fosse seu irmão ali, você não entenderia a piada de tão baixo escalão ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você quis dizer "Calão" e não "Escalão". E é exatamente por esse tipo de pensamento: "e se fosse seu irmão?" "e se..." que escrevi o que escrevi. Repito aqui: Não foi comigo. Se tivesse sido, eu sinceramente não sei como agiria, mas com toda a certeza do mundo não estaria na internet enchendo o saco de todo mundo (:

      Excluir
  4. "Quem é babaca de fato? Eu que assumo o que penso e sinto ou você que veste o manto da solidariedade de momento?" está mesmo cheio de gente que veste o manto quando quer aparecer.

    ResponderExcluir