25 de abr de 2012

Uma vez


                Existe sempre um momento. Um momento que você percebe que as suas manias, seu jeito, você, irritariam quase que mortalmente a outra pessoa e que por mais que ela ache bonitinho agora, isso não duraria um mês se estivessem juntos.
                Mas não dá para mudar.
                Você não quer mudar, e, nem o sol quente das manhãs frias ou a grama seca das tardes mornas te fazem arrepender dessa decisão.
                São em momentos assim que vinte maneiras de ver o mundo se tornam vinte maneiras de começar uma briga.
                E não há nada a fazer quando isso acontece.   

Um comentário: