24 de mai de 2013

(Quase) Verdade


                Eu que não mudo mais a temperatura do chuveiro no inverno.
                O morno do outono não satisfaz.
                Eu que não digo que sinto a sua falta como dizia antes, não me sirvo mais fartas doses de álcool e amor lascivo.
                Não sigo mais o instinto e nem me deito em camas desconhecidas.
                Eu que quando te vejo quase não respiro e nego os sentidos.
                Eu que não ardo mais em desejo e nem com a minha dura rigidez fálica satisfaço a vontade em flores alheias.
                Eu que não mudo mais a temperatura do chuveiro no inverno.
                Não mudo por não querer sentir nada quente e úmido, em mim, além de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário