3 de jun de 2013

Interior



                Achou que fosse saudade, mas era só o sutiã apertando mais que o normal. Pensou gostar muito, só que na verdade era fome. Nessas tardes corridas de outono nublado, passando por cima de folhas secas, poças d’água e machucados. Com uma tosse levemente molhada. Acreditou na paixão alheia, mesmo sentindo somente um apego momentâneo.
                Não somos, mesmo, donos daquilo que dissemos.
                Achou que ele passaria a vida aumentando o que sentia por ela. Ele poderia amá-la. Ele quase amou. Mas não era paixão, longe disso. Era cômodo, pros dois. Numa noite quente, em uma cidade assombrada, ela encontra o fim. Encontrou o fim em um novo começo. Naquela noite, em questão, o frio não apareceu, a lua brilhou forte e nenhum demônio ousou ressurgir.
                Ela achou que gostava, até trocar o marasmo por paixão e se sentiu feliz por isso.
               

Nenhum comentário:

Postar um comentário